Resistir ou adaptar-se?

Os agricultores da Galícia/Espanha diante da política agrícola comum no pós-1992

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20336/rbs.662

Palavras-chave:

Política Agrícola Comum, resistência, adaptação

Resumo

Este artigo tem como objetivo não só identificar as estratégias de resistência, mas também de adaptação dos agricultores galegos participantes das organizações agrárias profissionais da Galícia face à Reforma da Política Agrícola Comum (PAC) iniciada em 1992. Utilizaram-se como procedimento metodológico entrevistas semiestruturadas com os agricultores participantes da Associação de Jovens Agricultores Profissionais (ASAJA) e do Sindicato Labrego Galego (SLG), situados na província de Corunha, Espanha. Os resultados da pesquisa apontaram que os agricultores galegos vinculados à ASAJA – uma instituição caracterizada por práticas agrícolas mais produtivistas – desenvolveram, de forma mais acentuada que os agricultores associados ao Sindicato Labrego Galego, estratégias de adaptação em relação às políticas agrícolas da PAC, ao passo que os agricultores galegos participantes do Sindicato Labrego Galego, que adotaram, de forma mais marcante, práticas agroecológicas, desenvolveram estratégias de resistência às imposições estabelecidas pela PAC.

Biografia do Autor

Edna Lopes Miranda, Universidade Federal de ViçosaPós Doutoranda em Ciências Sociais Aplicadas

Pesquisadora em estágio pós doutoral (PNPD/CAPES) do Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica (PPGED) da Universidade Federal de Viçosa, Doutora em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa, Mestre e Bacharel em Economia Doméstica pela mesma Universidade.

Ana Louise de Carvalho Fiúza, Universidade Federal de ViçosaProfessora Associada IV

Pós-Doutora no Centro de Investigações em Ciências Sociais da Universidade do Minho, Portugal. Doutora em Ciências Sociais (CPDA/UFRRJ), Mestre em Extensão Rural pela UFV e  graduada em Ciências Sociais pela UFJF. Professora do Departamento de Economia Rural e do Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica na Universidade Federal de Viçosa

María Dolores Sánchez Fernández, Universidad de Coruña/UDC - EspanhaProfessora da Faculdade de Economia e Empresa

Doutora em Competitividade, Inovação e Desenvolvimento: Análise Econômica e Empresarial pela Universidade da Corunha/Espanha, Mestre em Sociedade da Informação e do Conhecimento pela Universidade Aberta da Catalunha, Graduada em Ciências Empresariais pela Universidade Aberta da Catalunha. Professora e pesquisadora da Universidade de Corunha, Faculdade de Economia e Empresa

Referências

Abramovay, Ricardo. (1994). A dualização como caminho para a agricultura sustentável. Estudos Econômicos, 24(n. especial), 157-182.

Adger, W. Neil. (2003). Social capital, collective action, and adaptation to climate change. Economic Geography, 79(4), 387-404. https://doi.org/10.1007/978-3-531-92258-4_19

Aguilar Criado, Encarnación. (2010). Productos locales, mercados globales. Nuevas estrategias de desarrollo en el mundo rural. In M. García (Ed). Perspectivas teóricas en desarrollo local (vol. 1, pp. 147-169). Netbiblo.

Arnalte Alegre, E. (2002). PAC y desarrollo rural: una relación de amor-odio. ICE, Revista de Economía, 1(803), 45-60.

Asociación Agraria de Jóvenes Agricultores. (2017). Relatório ASAJA. Disponível em http://www.ASAJA.com

Bernal, Antonio M., López Villarverde, Ángel L., & Ortiz Heras, Manuel. (2001). Entre surcos y arados: el asociacionismo agrario en la España del siglo XX. Ediciones de la Universidad de Castilla-La Mancha.

Bouhier, Abel. (2001). Galicia: ensaio xeográfico de análise e interpretación dun vello complexo agrário. Xunta de Galicia.

Bourdieu, Pierre. (1980). Esboço de uma teoria da prática. In R. Ortiz (Org.), Pierre Bourdieu: Sociologia (pp. 46-80). Ática.

Chambers, Robert, & Conway, Gordon R. (1992). Sustainable rural livelihoods: practical concepts for the 21st century [IDS discussion paper 296]. https://opendocs.ids.ac.uk/opendocs/handle/20.500.12413/775

Colle, Célio A. (2017). Harmonização e complementaridade entre as políticas para a agricultura do Brasil e da União Europeia [Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul]. http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/7475

Comissão Europeia. (2013, 26 jun.). Política Agrícola Comum e a agricultura na Europa [Circular de imprensa]. http://europa.eu/rapid/press-release_MEMO-13-631_pt.htm

Díaz-Geada, Alba. (2011). O campo en movemento. O papel do sindicalismo labrego no rural galego do tardofranquismo e da transición (1964-1986). Universidad de Santiago e Fundación Juana de Veja.

Fernández, David S., González de Molina, Antonio H., González de Molina, Manuel, & Ortega Santos, Antonio. (2007). La protesta campesina como protesta ambiental, siglos XVIII-XX. Historia agraria: Revista de Agricultura e Historia Rural, 42, 277-302. http://hdl.handle.net/10234/161800

Fernández Leiceaga, Xoaquín, & López Iglesias, Edelmiro. (2013). As transformacións socioeconómicas de Galicia. Balance de cinco décadas. Revista Galega de Cultura Grial, 200, 40-49.

Fragoso, Rui M. S., & Marques, Carlos. (2007). A competitividade do regadio em Portugal no contexto da Nova Política Agrícola Comum: o caso de uma exploração agrícola no Alentejo. Rev. Econ. Sociol. Rural, 45(1), 49-70.

Garcia Ramon, Maria D., & Baylina, Mireia. (2000). El nuevo papel de las mujeres en el desarrollo rural. Oikos-Tau.

INE - Instituto Nacional de Estadística (2017). Setores econômicos de Galícia. Disponível em: http://www.ine.es

Lamarche, Huges. (1993). Agricultura familiar: comparação internacional. Ed. Unicamp.

López Iglesias, Edelmiro. (2012). A gobernanza e xestión do medio rural galego a comezos do século XXI; reflexións e propostas para o debate. In R. R. González (Coord.), Galícia, um mundo rural vivo (pp. 130-146). Universidade Internacional Menéndez Pelayo - Concello de Lalín.

Lozano Cabedo, Carmen. (2007). Agricultura ecológica y “segura”. Multifuncionalidad, calidad y territorio en el contexto de la globalización [Tese de Doutorado, Universidad de Sevilla]. em https://idus.us.es/handle/11441/14921

Medina-Albaladejo, Francisco J. (2013). Fuentes para la historia de las cooperativas agrarias en España: los archivos empresariales. Revista de Economía Pública Social y Cooperativa, 77, 189-212.

Menezes, Marilda & Malagodi, Edgard. (2011). Os camponeses como atores sociais: a perspectiva da autonomia e da resistência. In S. Schneider & M. Gazolla (Eds.), Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas sociais (pp. 49-68). Editora da UFRGS.

Muñoz, Ana C. & Caldentey, Pedro. (2000). Signos de calidad en productos agroalimentarios. Revista Tierra Sur, 7, 30-36.

Moura, Margarida M. (1986). Camponeses (2. ed). Ática.

Moyano-Estrada, Eduardo. (2013). Desarrollo local y cohesión en el marco de la nueva programación estratégica de la UE (2014-2020). Notas de palestra proferida no seminário La estratégia Leader en el nuevo enfoque participativo de La Unión Europea para el desarrollo local (2014-2020), Salamanca, Espanha.

Nelson, Donald R., Adger, Neil, & Brown, Katrina. (2007). Adaptation to environmental change contributions of a resilience framework. The Annual Review of Environment and Resources, 32, 395-419.

Niederle, Paulo, & Grisa, Cátia. (2008). Diversificação dos meios de vida e acesso a atores e ativos: uma abordagem sobre a dinâmica de desenvolvimento local da agricultura familiar. Cuadernos de Desarrollo Rural, 5(61), 41-69. https://revistas.javeriana.edu.co/index.php/desarrolloRural/article/view/1199

Oliveira, Ariovaldo U. de. (2002). A agricultura camponesa no Brasil (4. ed.). Contexto.

Oliveira, Samuel José, & Ferreira Filho, Joaquim B. (2008). A expansão da União Européia em 2004 e seus impactos sobre o agronegócio brasileiro. Revista de Economia e Sociologia Rural, 46(4), 937-967.

Ortega, Antonio C. (2008). Territórios deprimidos: desafios para as políticas de desenvolvimento rural. Editora Alínea; Edufu.

Paulino, Eliane T., & Almeida, Rosemeire A. de. (2010). Terra e território: a questão camponesa no capitalismo (vol. 1, 1. ed.). Expressão Popular.

Pérez, Xoán, & Alvariño, Emilio. (2014). O pequeno é grande: a agricultura familiar como alternativa: O caso galego (1. ed.). Editora Através.

Perondi, Miguel Â., & Schneider, Sérgio. (2012). Bases teóricas da abordagem de diversificação dos meios de vida. Revista Redes, 17(2), 117-135. http://dx.doi.org/10.17058/redes.v17i2.2032

Ploeg, Jan D. van der. (2008). Agricultores e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Editora da UFRGS.

Ploeg, Jan D. van der. (2006). O modo de produção camponês revisitado. In S. Schneider (Org.), A diversidade da agricultura familiar (pp.13-54). Editora da UFRGS.

Prazeres, Rebeca. (2017). Justiça social, feminismo e movimentos sociais: a Secretaria das Mulleres do Sindicato Labrego Galego [Tese de Doutorado, Universidade de Santiago de Compostela]. https://minerva.usc.es/xmlui/handle/10347/15480

Saraceno, Elena. (2002). La experiencia europea de desarrollo rural y su utilidad para el contexto latinoamericano. Comisión Europea.

Saron, Flávio, & Hespanhol, Antônio. (2015). Os efeitos dos programas de desenvolvimento rural LEADER e PRODER em territórios rurais deprimidos de Portugal: o caso das Terras de Sicó. Ateliê Geográfico, 9(3), 63-87. https://doi.org/10.5216/ag.v9i3.32840

Scott, James C. (2002). Los dominados y el arte de la resistencia. Ediciones Era.

Scott, James C. (1985). Weapons of the weak: everyday forms of peasant resistance. Yale University Press.

Silva, Manuel C. (1998). Resistir e adaptar-se. Constrangimentos e estratégias no noroeste de Portugal. Afrontamento.

Stadel, Christoph. (2008). Vulnerability, resilience and adaptation: rural development in the Tropical Andes. Pirineos, 163, 15-36.

Thompson, Edward P. (1998). Costumes em comum. Companhia das Letras.

Tilly, Charles. (1977). From mobilization to revolution. Anderson-Wesley.

Wanderley, Maria de N. (2009). Mundo rural como um espaço de vida. Editora da UFRGS.

Wolf, Eric R. (1976). Sociedades camponesas. Zahar Editores.

Xunta de Galícia. (2017). Agência Galega de Desenvolvimento Rural. http://agader.xunta.gal

Downloads

Publicado

2021-09-01